[RESENHA LITERAL] Meu Romeu - Leisa Rayven


 Editora:Globo Livros
Autor: Leisa Rayven
Nº de Páginas: 407

Sinopse: Cassie está prestes a realizar o grande sonho: estrelar um espetáculo na Broadway. O que ela não esperava era ter que enfrentar o reencontro com o ex-namorado, que será novamente protagonista ao seu lado, em uma peça cheia de romance e cenas quentes. Trabalhar com Ethan traz o passado à tona, e lembra a Cassie que o que existe entre eles vai muito além de simples química.


Links Para Comprar: 
    








Primeiramente, você, querida leitora(o), não desista da resenha por ela ser extensa, se você é fã de NA, vai valer a pena.

Gostaria de começar a resenha falando sobre a capa. Simplória e ao mesmo tempo com um nível de “fofura” extremamente elevado, ela contradiz absolutamente todo conteúdo do livro. Apesar de ser um NA, posso afirmar com toda a certeza que ele conseguiu ultrapassar em algumas cenas um pouco mais quentes que os outros livros pertencentes ao gênero.

Primeiramente, o livro é escrito em duas etapas que se reversam durante todo o seu decorrer. A personagem principal é a única narradora, entretanto, se passa em tempos diferentes com o objetivo de criar um paralelo e explicar onde o “ex-casal” principal foi parar. Confesso que por ser lerda, confundia alguns capítulos no começo com perguntas como “Isso é ela no começo ou atualmente?”, apesar da autora deixar bem claro com um título “Seis anos antes” e “Hoje”.
Então, vamos lá!

O livro começa com Cassandra Taylor, uma atriz renomada no mundo teatral, atravessando as ruas de Nova York, revelando um misto de estresse com nervosismo extremamente óbvio ao saber que o ex-namorado que partiu seu coração duas vezes está de volta à cidade, e prestes a ser novamente seu par em uma peça na Broadway, capaz de alavancar ainda mais sua carreira. O fato de estar absolutamente decidido a se redimir pelos seus erros do passado e tentar reconquistar sua confiança, não ajuda muito.

“Vários motoristas de taxí me xingam em diversas línguas. Saio mostrando o dedo do meio alegremente, porque estou bem certa de que isso significa “vai se foder” no mundo todo.”

Dividindo o apartamento com seu melhor amigo gay, ele a propõe de escrever em seu diário novamente, para que possa entender como foi parar tão frustrada e totalmente arrasada emocionalmente, capaz sequer de arranjar um relacionamento sério ao invés de noites com caras quaisquer.  

Cassie nos leva nesta jornada ao contar sobre como conheceu o “recatado” Ethan Holt ao tentar ingressar na melhor faculdade de artes do país. Uma menina disposta a agradar todos os que estão em sua volta não sabe como lidar com a única pessoa que consegue ser sincera sem ao menos conhecer direito, a única pessoa determinada a manter 123.443 quilômetros de distância. A partir daí, várias e várias histórias se desenrolam e pessoas que deveriam estar em lugares opostos sempre buscam mais e mais de si.
“ – Taylor, olha... eu...
- Meu nome é Cassie
- Cassie, a coisa é que... Não vamos ser amigos, então imaginei que não tinha sentido gastar energia um com o outro, certo?
Pisco algumas vezes
- Hum, tá. “

Comprei o livro apenas lendo a primeira página, vi uma personagem de extrema atitude e um tanto cômica, o que prometia várias e várias páginas emocionantes. Acredito que devido a alta expectativa fiquei um pouco decepcionada, o que não rendeu as cinco estrelas. A autora tentou criar um mistério envolto dos erros de Ethan para com Cassie, mas as idas e vindas do passado ao presente tornou a história um pouco cansativa, uma vez que depois da apresentação do enredo até a um pouco mais da metade da obra, o presente realmente poderia ter sido eliminado por mostrar coisas repetitivas. Além disso, tem horas que você deseja simplesmente matar o Holt por recuar tantas vezes em uma parte que poderia ter sido fantástica, e outras em que eles se resumem a apenas preliminares e mais preliminares. 

Apesar disso, a alternância dos tempos teve uma função importante com relação a evolução dos personagens. Vemos enquanto eles estão na faculdade uma Cassie ingênua; que aprende a beber e fumar exclusivamente com o foco de se enturmar; sem falar palavrões por conta de sua convivência com os pais e perdidamente apaixonada e ao mesmo tempo afobada demais para perder sua virgindade.

Com uma protagonista virgem um tanto desleixada, um rapaz que não chega a ser um bad boy e passa a maior tempo recusando tentar algo, Leisa Rayven finaliza seu primeiro livro com um capítulo 21 que simplesmente te faz esquecer todas e quaisquer falhas existentes. Um NA realmente fora do padrão. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário