[RESENHA LITERAL] "A Maldição do Tigre", de Colleen Houck

Olá garotos e garotas literais! Mais uma vez gostaria de me desculpar por conta da demora de postar alguma coisa então aqui estou eu com mais uma resenha! Pretendo postar mais daqui pra frente, mas como eu disse anteriormente, está difícil conciliar tudo...  Espero que gostem!



Título: A Maldição do Tigre
Livro: A Saga do Tigre, Vol 1
Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Páginas: 344
Sinopse: "Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço."




       Acredito que muitos gostaram desse livro por conta da ideia e cultura que foi passada durante todo o livro sobre a Índia, então, ponto positivíssimo para Colleen, já que todo o enredo foi uma ideia muito boa e criou uma ótima base para todos os conflitos e problemas que provavelmente seriam esperados.


"Naquela noite, sonhei que estava sendo perseguida na selva e, quando me virei para olhar meu perseguidor, levei um susto ao ver um grande tigre. No sonho, eu ri e então me virei e corri mais depressa. O som de patas delicadas e macias me seguia, no mesmo ritmo do meu coração." - Pág. 19

       Gostei muito do mundo e de poder viajar para um lugar com a cultura tão diferente e especial, nunca li nenhum livro que se passasse na Índia ou que falasse sobre a Índia, portanto achei tudo bastante interessante, sem dúvidas. Porém, como nem sempre tudo é flores, algumas coisas me incomodaram...
       Existe a maldição de que Dihren (ou como a Kelsey, protagonista o chama, Ren), que faz com que Ren seja um tigre. Mas, quando Kelsey chega ele percebe que pode ficar 24min a cada 24h como humano, portanto ela é a que poderá quebrar a maldição que há cerca de 300 anos rodeia Ren e seu irmão, Kishan.

"Ele não tinha muita semelhança com um tigre, exceto pelos olhos. Tinha lábios carnudos, queixo quadrado e um nariz aristocrático. Não se parecia com nenhum homem que eu já tivesse visto. Eu não conseguia identificar, mas havia nele algo mais, um refinamento. Ele transpirava confiança, força e nobreza." - Pág. 85

       E é nesse detalhe que eu queria chegar. Parece que Ren-tigre é totalmente diferente de Ren-humano. Claro, existe o fato que ele é meio que liberado da maldição, mas quando eu via umas atitudes do tigre e do humano eu não acreditava que fossem a mesma pessoa em boa parte das vezes. Então isso me confundiu e irritou um pouco.

       Outro fato é a infantilidade que ambos compartilham em alguns pontos do livro, mais pro final. A Kelsey, entendia-se, mas um cara com 20 e poucos anos, por mais de 300 anos não deveria ser um pouco mais... maduro? Então, algumas vezes isso ficava bem irritante.

"Seu toque era doce, hesitante e cuidadoso. A expressão dele era de espanto e compreensão. Eu estremeci. Ele ficou parado por mais um momento, então sorriu com ternura, baixou a cabeça e roçou os lábios nos meus." - Pág 215

       Acho que o Ren e a Kelsey tem química e eu ainda não sei o que achar do Ren, com tantas facetas que as vezes parece que ele tem como, de o galanteador, o dócil, o bad-boy, o infantil e o as vezes não pareço ter 20 anos, fica meio complicado...

       Mas fora isso gostei bastante do livro, quero ler a continuação pra ver o que vai acontecer nesse próximo volume e quem sabe acompanhar um possível amadurecimento dos personagens no decorrer da série? Que presumindo terá quatro livros ao todo, acredito eu. Então, recomendo a leitura pra quem gosta de um YA (young adult, jovem adulto) com sobrenatural e uma cultura bem curiosa. 

"Kishan firmou as garras no antílope e cravou os dentes fundo em seu corpo. cravou os dentes fundo em seu corpo. Usando a força da mandíbula, arrancou um naco de carne ainda quente de onde o sangue pingava. Ren seguiu seu exemplo. Era horrível, nauseante e perturbador." - Pág 191

- Por Ana/Bia