[RESENHA LITERAL] "Longe Demais", de Jennifer Echols

Olá garotos e garotas literais, com o feriado estou tentando postar regularmente aqui no blog, mas acho que semana que vem será um tanto mais complicado porque estarei na outra metade da semana de provas (parou por causa do feriado prolongado, haha). Bom, enfim, deixando isso de lado, aqui vai a resenha de hoje de um livro que eu terminei de ler ontem à noite. Comecei há um tempo, é emprestado, mas eu finalmente terminei, haha. (Na caixa de correio que postarei no youtube até o fim do feriado eu vou mostrar pra vocês! :D ).

Título: Longe Demais
Livro: Único
Autora: Jennifer Echols
Páginas: 238
Editora: Pandorga
Sinopse: "Tudo o que Meg sempre quis foi fugir. Fugir do colégio. Fugir da sua pacata cidade. Fugir de seus pais, que pareciam determinados a mantê-la presa em uma vida sem futuro. Mas, em uma noite louca envolvendo trilhos de ferrovia proibidos e desafiadores, ela vai longe demais... e quase não consegue voltar. 
John escolheu ficar. Para impor o cumprimento das leis. Para servir e proteger. Ele desdenha a rebeldia infantil e quer ensinar a Meg uma lição que ela não esquecerá tão cedo. Mas Meg o leva ao limite ao questionar tudo o que ele aprendeu na academia de polícia. E quando ele a pressiona para saber por que ela não se prende a nada, a resposta os levará a um caminho sem volta..."

(3,5)



      Depois de Algum tempo pra ler esse livro, acabei. Demorei umas duas semanas por conta de provas e escola, já que é o último mês e tudo é bem corrido, mas mesmo eu tendo demorado um pouco, o livro é muito fácil de ler e contém uma leitura bem leve e fluida. Outro detalhe é que estou um pouco atrasada pra comentar desse livro (mais uma vez), mas vamos lá.
      A história é muito boa e a premissa bem diferente, nunca tinha ouvido falar em algum livro com o mesmo enredo, ou algo parecido, e de primeira fui cativada por essa história que Jennifer criou, mesmo sem ler uma página. 
      Meg é uma adolescente de 17 anos com cabelos azuis e com uma baita personalidade. Faz tudo que "dá na telha" sem se importar com as consequências. Numa dessas aventuras ela vai até a ponte com seu "quase-namorado", sua melhor amiga e o "quase-namorado" de sua melhor amiga. Os quatro estão bêbados e sem se importar muito com o que estão fazendo ou  com o acidente que pode acontecer.
      Logo depois disso, um policial e reforços chegam a ponte e prendem-nos e todos são obrigados a fazer turnos em distintos lugares, pois caso contrário serão todos mandados à cadeia. Meg, por uma semana, deverá fazer turnos com o policial que a prendeu, John After.
      Esse é a premissa do livro, para não entrar em mais detalhes. E um leve spoiler (seria um?): Daí em diante ambos começam a se sentir mais ligados um com o outro emocionalmente e com isso se apaixonam.

"Ele me abraçou ainda mais apertado com os braços grandes e me inclinou. Cheirei seu perfume. Seus lábios quentes e delicados encontraram os meus. E vivemos felizes para 
sempre." - Página 236 
      
      O livro é bem calmo e não há acontecimentos muito "Oh!", mas mesmo assim não me senti entediada e já esperava que o livro não fosse tão animado quanto outros que estou acostumada a ler, pois o livro é mais sobre pessoas normais com vidas normais e não nada mais espetacular. 
Algumas coisas me incomodaram no livro, como:

- Apesar de não influírem muito na fluência da leitura, alguns erros de digitação e português apareceram e outro ponto que me incomodou bastante foi o fato de não colocarem "aspas", para denominarem lugares como o "Cafextra! Cafextra!", me derrapava com isso e parava um pouco pra saber do que realmente estavam falando, mesmo que fosse no começo da história, que eu ainda não estava habituada.
- Outro aspectos foi o fato de Meg e John ficarem infantis e imaturos em algumas partes, mesmo sendo novos. Do nada eles estavam bem e em outra hora davam um ataque de "estou de mal com você", isso aconteceu no final com Meg e John, mesmo que com um certo motivo e me irritou bastante.
- O final abrupto: Não esperava de modo algum o final e este me agradou bastante, mas eu achei que tudo aconteceu um tanto quanto rápido demais. Do nada estavam bem, do nada estavam mal e do nada a autora fechou o livro e todas as pontas de uma forma meio corrida.

      Porém, mesmo com esses fatos Jennifer soube criar uma boa história, bons personagens e com um bom final. A personalidade rude e um tanto quanto dura de Meg tem um bom motivo, mesmo ela parecendo ser grosseira em alguns aspectos. Então, há uma razão por trás de tudo. 

- Por Ana/Bia

Um comentário:

  1. Oi

    Deixei um selinho pra vcs lá no meu blog, espero q gostem:

    http://seiqueeusei.blogspot.com.br/2012/11/selinho-2.html

    bjos!

    ResponderExcluir