[RESENHA LITERAL] Eu, o Desaparecido e a Morte - Jenny Valentine

Olá, hoje a resenha é de um livro não muito conhecido mas que eu gostei BASTANTE! Não tem exatamente algum acontecimento marcante, ou alguma coisa super emocionante, mas é aquele livro que te faz refletir sobre alguns aspectos na sua vida e muitas outras coisas! Vamos à resenha então...

Título: Eu, O Desaparecido e a Morta
Livro: Único
Autora: Jenny Valentine
Páginas: 183
Editora: iD Editora
Sinopse: "Ter um pai 'desaparecido' já é uma situação perturbadora, mas a vida de Lucas se complica de verdade quando ele encontra Violet Park - ou melhor, a 'morta' - em uma decadente agência de táxis durante a madrugada. Aquele com certeza não era lugar para uma senhora falecida, e ao buscar um final menos deprimente para os restos mortais dela, Lucas vai descobrir muitas coisas sobre si mesmo."


(4,5)

     Talvez este seja um livro que você ache monótono demais, chato demais, sem sal demais. Entretanto essa não foi a experiência que eu tive. O livro é muito bom e mesmo que não tenha ação, a leitura é rápida e fluida, até porque o livro é bem fino e tem a narrativa bem leve. 
    Algumas coisas que me incomodaram, para retirar meia estrela da classificação foram alguns erros de digitação e gramática (poucos, talvez dois ou três no decorrer da leitura) e o efeito de "página amassada", que apesar de muito bem feito da parte da editora, dificultava a leitura em algumas horas. Todavia deixando estes problemas de lado, o livro é ótimo.
Foi lançado há bastante tempo, não sei bem quando lançou no Brasil, mas lá nos EUA foi antes de 2007. (Já que na contra capa diz que ele foi indicado a prêmios em 2007 lá nos Estados Unidos), mas não influi muito na leitura, já que só foi lançado há cinco anos. 
Apesar de muitas vezes eu ler livros sobrenaturais (na verdade 90% de todos os livros que eu li na vida) e preferi-los ao invés de livros de pessoas comuns, me interessei pela história deste, e o escolhi pensando realmente que haveria fantasmas na história (o que de fato teve, mas não de um jeito que imaginamos quando se fala de fantasmas  Aparecendo bem na sua frente, como se fossem pessoas só que meio transparentes ou brilhantes).
O livro é aquele tipo de livro que você se identifica de primeira, seja com todas as questões e situações apresentadas ou pelo menos uma (no meu caso foram várias). Você realmente sente os rancores, a tristeza e os sentimentos do personagem principal, Lucas, um garoto/homem que já passou da fase da adolescência (ou está no final, não fica bem claro), que leva a vida desde os dez anos sem o pai, que está desaparecido desde então, e encontra uma urna em uma agencia de táxis em Londres, que dentro tem as cinzas de uma senhora chamada Violet Park (não vou explicar mais coisas para não virar spoiler).
Devo dizer que não é um livro animado e cheio de ação, mas pra mim é isso que de alguma forma o torna especial, já que nem sempre a nossa vida é animada ou cheia de coisas acontecendo, simplesmente problemas que temos que enfrentar todos os dias.
Para mim, este livro é totalmente único, já que nunca vi um livro com uma história parecida até o momento, e gostei muito. Não imaginava que ia gostar tanto de um livro como gostei desse, é aquele tipo de livro que lemos quando estamos querendo esquecer nossos problemas, ou simplesmente para passar o tempo.
O fim do livro é meio "no ar" de uma certa forma, e me lembrou Dom Casmurro (por conta da traição, ou não traição de Capitu no livro de Machado de Assis) mas a autora de "Eu, o Desaparecido e a Morta", ao contrário daquele, deixa o caminho da resposta sobre o desaparecimento do pai de Lucas, Pete, rascunhado a lápis.

Espero que tenham gostado da resenha, li este livro há algum tempo, mas resolvi postar a resenha pra vocês agora :D

- Por Bia/Ana

Um comentário:

  1. Parabéns pela resenha e amei o layout do blog beijos !

    euvivolendo.blogspot.com

    ResponderExcluir